PARTIR SEMPRE

Por tudo quanto
os novos cais
te hão-de dar a beber
e a sentir...
Pelas aves sem rota 
que os olhos perseguem
nas sendas do voo,
da viagem.....
Saberás amar
universos cantados
nas partidas eternas
que encontrarás...
Saberás partir
sem recados perdidos
a queimarem-te os dedos
Os teus dedos...


Do Álbum
Tantra - Mistérios e Maravilhas ( 1977 )


Música e voz de Armando Gama
Poema de Mário Máximo


Fotografia de Frederic Baque

ZIP

MP3